ciência

40 tumbas com restos humanos em vasos são encontradas na Córsega

43views
Arqueólogos descobriram restos humanos na antiga necrópole da Córsega, na França (Foto: Jean-Jacques Grizeaud)
Arqueólogos descobriram restos humanos na antiga necrópole da Córsega, na França (Foto: Jean-Jacques Grizeaud)

Uma necrópole com 40 tumbas e vários jarros cilíndricos contendo restos humanos foi descoberta na cidade de Île-Rousse, localizada na ilha francesa da Córsega. Entre os mortos, estão adultos e bebês, enterrados entre os séculos 3 e 5, durante o declínio do Império Romano.

As escavações seguem sendo realizadas no local desde o final de fevereiro por arqueólogos do Inrap (Instituto Nacional de Pesquisa Arqueológica Preventiva). As investigações ocorrem em duas áreas com cerca de 600 m², que já revelaram estruturas de estilos arquitetônicos diferenciados.

Foram encontradas, por exemplo, fossas sepulcrais cavadas em rochas e túmulos com azulejos romanos, segundo cita comunicado do Inrap. Muitos dos mortos enterrados na área estão dentro de ânforas, vasos usados antigamente para transportar produtos como azeite, vinho ou picles.

Vários mortos estavam em vasos produzidos no Norte da África (Foto: Pascal Druelle/Inrap)
Vários mortos estavam em vasos produzidos no Norte da África e na atual Tunísia (Foto: Pascal Druelle/Inrap)

Mas a maioria dos restos mortais presentes nos vasos são de crianças, embora alguns adultos também tenham sido enterrados dessa mesma forma. Em vários dos casos, fragmentos dos corpos estão sobre as ânforas como se fossem uma “cobertura”.

Os vasos apresentam desenhos típicos do Norte da África e alguns deles foram fabricados em Cartago, na atual Tunísia. Mesmo assim, a maioria dos mortos da necrópole viveu na própria ilha de Córsega, segundo informou Jean-Jacques Grizeaud, líder das escavações, ao site Live Science.

Os indivíduos encontravam-se em médio estado de conservação, o que exigiu cuidados especiais na retirada dos ossos. Além do mais, os arqueólogos descobriram em alguns dos túmulos eram de ladrilhos de terracota, tradicionalmente usados pelos romanos para cobrir seus edifícios.

Arqueólogos trabalham nas escavações na ilha francesa da Córsega (Foto: Pascal Druelle/Inrap)
Arqueólogos trabalham nas escavações na ilha francesa da Córsega (Foto: Pascal Druelle/Inrap)

A necrópole de Córsega fica próxima à igreja da Imaculada Conceição, construída em 1893. Na mesma ilha existem outros sítios arqueológicos, como os de Mariana e Sant’Amanza. Isso é sinal de que na região podem ter operado vários locais de culto, segundo os pesquisadores

Os experts ainda planejam conduzir mais estudos para determinar quais cidades antigas estavam localizadas perto desta necrópole, que na época ficava em território comercialmente ligado ao atual Mediterrâneo.

Nos próximos meses, os arqueólogos conduzirão análises em laboratório para desvendar o sexo dos mortos, além de suas idades exatas e quaisquer doenças ou ferimentos que possam ter tido, de acordo com Grizeaud.

A necrópole de Córsega funcionou durante os séculos 3 a 5 d.C (Foto: Pascal Druelle/Inrap)
A necrópole de Córsega funcionou durante os séculos 3 a 5 d.C (Foto: Pascal Druelle/Inrap)

Galileu