entretenimento

A pirâmide financeira de Madoff: Entenda como funcionava o esquema ‘ponzi’

92views

Depois de se tornar conhecido e respeitado pelo mercado financeiro americano, onde trabalhou opor décadas, Bernie Madoff chocou o mundo quando seu esquema de pirâmide financeira, ou “ponzi“, foi revelado, em 2008. Por quase 20 anos, ele conseguiu enganar milhares de pessoas, entre anônimos e celebridades, ricos e pobres. Mas como esse esquema funcionava?

O esquema era operado por meio da parte de gestão de fortunas de seu negócio. Era uma clássica pirâmide financeira. Madoff atraiu investidores prometendo retornos extraordinariamente altos sobre seus investimentos. No entanto, quando os investidores entregavam o dinheiro, Madoff apenas o depositava em sua conta bancária pessoal no Chase Manhattan Bank. Ele pagou “retornos” a investidores anteriores usando o dinheiro obtido de investidores posteriores. Os extratos das movimentações dos clientes, mostrando seus supostos lucros, eram completamente falsos.

O próprio Madoff admitiu que as irregularidades começaram no início dos anos 1990, quando começou a falsificar lucros para agradar investidores institucionais. No escritório no 17º andar do Lipstick Building, em Manhattan, apenas uns poucos funcionários de confiança tinha acesso. Lá, Madoff disse a eles para criar negócios falsos para serem incluídos nos extratos das contas, dando retornos mais elevados a alguns investidores. Certa vez, funcionários colocaram um novo documento falso na geladeira para resfriá-lo depois que ele saiu da impressora e ficaram jogando-o amassado de um lado para o outro para fazer com que parecesse antigo antes de entregá-lo a um auditor.

O esquema só ruiu com a crise financeira de 2008, que levou muitos investidores a tentarem sacar seus recursos aplicados com Madoff. Esses pedidos da saque teriam somado quase US$ 7 bilhões, mas Madoff tinha apenas entre US$ 200 milhões e US$ 300 milhões para honrar esses compromisssos.

Madoff era famoso por manter segredo sobre seus métodos, aumentando o fascínio – e permitindo que ele escapasse da detecção pelas autoridades, apesar de investigações feitas pela Securities and Exchange Comission (SEC, a CVM americana). Os relatórios iniciais indicaram que US$ 65 bilhões foram eliminados da Bernard L. Madoff Investment Securities. Mas logo ficou claro que os ativos que Madoff se gabava de administrar existiam apenas no papel.

No fim das contas, um administrador nomeado pela Justiça estimou que Madoff arrecadou pouco mais de US$ 17 bilhões em dinheiro de clientes por meio do esquema, dos quais foram recuperados cerca de US$ 13 bilhões.

O nome “ponzi” vem de Charles Ponzi, um vigarista americano que criou um esquema de pirâmide financeira e foi preso em 1920.

1 de 1 — Foto: Daniel Acker/Bloomberg News

— Foto: Daniel Acker/Bloomberg News

Fonte: Valor Econômico