ciência

Adolescentes encontram moedas de mil anos que valem milhares de libras

150views
Adolescentes encontram moedas de mil anos que valem milhares de libras. Acima: moeda Harold II (canto superior esquerdo) e moeda Henry I (canto inferior direito) (Foto: Hansons)
Adolescentes encontram moedas de mil anos que valem milhares de libras. Acima: moeda Harold II (canto superior esquerdo) e moeda Henry I (canto inferior direito) (Foto: Hansons)

Dois adolescentes britânicos encontraram moedas que datam de quase mil anos atrás — e agora eles podem vendê-las por milhares de libras em um leilão que será realizado na casa de leilões Hansons Auctioneers and Valuers, na Inglaterra. Segundo as estimativas da instituição, o preço mínimo para aquisição dos objetos é de 3 mil libras esterlinas (aproximadamente R$ 22 mil).

Reece Pickering, de 17 anos, descobriu um centavo saxão de prata datado de 1066 enquanto caçava “tesouros” com um detector de metais em Norfolk em agosto. No mês seguinte, Walter Taylor, de 16 anos, encontrou uma moeda de prata de 1106 em um campo em South Essex.

A moeda encontrada por Pickering é do período em que Harold II, o último rei anglo-saxão, foi coroado na Inglaterra. Ele reinou de 6 de janeiro de 1066 até sua morte na Batalha de Hastings, em 14 de outubro de 1066. “Foi [algo] muito especial de encontrar. Eu não esperava achar uma moeda tão rara e notável. É um dia que vou lembrar para sempre”, afirmou o jovem, em comunicado publicado pela casa de leilões. “Não consigo imaginar encontrar algo tão especial como isso novamente. Você nunca sabe o que está sob seus pés.”

Já o artefato encontrado por Taylor mostra o rei Henry I apontando para um cometa — os normandos eram fascinados pelas estrelas, por isso símbolos astronômicos aparecem nas moedas. O centavo foi criado após uma vitória em Tinchebrai, na Normandia, em 1106. A batalha em questão aconteceu entre invasores, liderados pelo rei da Inglaterra, e o exército de seu irmão mais velho, Robert Curthose, duque da Normandia.

“A moeda estava enterrada a cerca de 10 centímetros de profundidade. Achei que fosse uma moeda de prata, mas quando limpei a lama, vi um rosto olhando para mim. Eu sabia que poderia ser bom e enviei uma foto para um especialista”, contou Taylor, também em declaração. “Ela é muito rara. Venho detectando metais desde os 4 anos de idade e essa é a minha maior descoberta.”

Galileu