entretenimento

Ânima quer aumentar capital de R$ 1,6 bilhão para até R$ 4 bilhões

108views
1 de 1 — Foto: Divulgação/Ânima

— Foto: Divulgação/Ânima

A Ânima está propondo ao seu conselho aumento de capital dos atuais R$ 1,6 bilhão para até R$ 4 bilhões. O assunto será debatido em reunião que está agendada para o dia 23 de novembro.

Ontem, a Laureate informou que pretende fechar a venda de sua unidade brasileira para a Ânima e romper o contrato com a Ser Educacional. No entanto, a empresa de Janguiê Diniz entrou com uma liminar para interromper as negociações alegando que as pré-condições do contrato não foram cumpridas.

A Ser discordou da análise de que a proposta da Ânima supera a sua e pretende levar a discussão a um tribunal arbitral. Mas antes mesmo que ele seja formado, conseguiu na Justiça uma liminar pré-arbitral impedindo que a Laureate rompa o acordo com Ser e feche com a Ânima. O Valor apurou que é parte da estratégia da Ser dificultar que a Ânima levante os recursos necessários para a aquisição.

Em meados de setembro, Laureate e Ser anunciaram um acordo, cujo contrato trazia uma cláusula chamada “go shop”. Isso significa que o conselho de administração da Laureate poderia buscar outras ofertas mais vantajosas que a da Ser. Se isso ficasse comprovado, poderia fechar outro negócio. Mas, para que isso pudesse acontecer, existia um rito a ser cumprido. E a Ser está alegando que a Laureate não seguiu esse rito.

Para ser considerada, a proposta de um terceiro precisaria, por exemplo, não contar com qualquer incerteza de financiamento. Em outras palavras, como escreveram os advogados da Ser, teria de comprovar “disponibilidade certa, plena e imediata dos recursos necessários para pagamento”.

Fonte: Valor Econômico