política

Bomba caseira é jogada na casa de testemunha do caso Flordelis

122views

Uma bomba caseira foi arremessada na madrugada de 6ª feira (4.set.2020) para sábado (5.set) na casa de Regiane Rabelo, uma das nas investigações da morte do pastor Anderson do Carmo, marido da deputada Flordelis (PSD-RJ [suspensa do partido]).

A empresária é ex-chefe de Lucas Cézar dos Santos Souza, filho adotivo de Flordelis, preso acusado de envolvimento na morte de Anderson.

<![CDATA[
.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;}.mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px
7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}
]]>
Os fragmentos do explosivo foram recolhidos e serão examinados por peritos.

A empresária disse que a bomba foi jogada por volta de meia-noite num corredor externo de sua casa. Ela estava com o marido no momento da possível tentativa de atentado. Regiane acredita estar sendo vítima de retaliações por ter denunciado Flordelis e outros membros da família à polícia.

Ao jornal O Globo, Regiane Rabelo declarou ter tomada “1 susto”. “A mãe da minha vizinha chegou a se jogar no chão com o barulho. A intenção era me dar 1 susto mesmo, para eu calar minha boca. Mas isso não vai acontecer. Fiquei assustada, mas já passou. Agora que não vão me calar”.

ENTENDA O CASO

Flordelis é apontada por arquitetar o homicídio, arregimentar e convencer o executor direto e demais acusados a participar do crime, simulando 1 latrocínio (roubo seguido de morte).

Anderson foi assassinado em 16 de junho de 2019. Foi atingido por mais de 30 tiros na garagem de sua casa, no bairro de Pendotiba, em Niterói (RJ), por volta das 3h30. Tinha chegado com a mulher e voltado ao carro para buscar algo. Morreu momentos depois de chegar ao hospital. Era casado havia 25 anos com Flordelis e tinha 41 anos quando foi assassinado.

Em 1º de agosto, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso decidiu que o caso não tem relação com o mandato da congressista. Por isso, determinou a retomada da investigação no Rio de Janeiro.

Continuar lendo

Poder360