Portugal

Brasileiro e senhora portuguesa conversando sobre xenofobia em Portugal

Xenofobia | Portugal | Brasileiros
630views

A senhora portuguesa a falar das gerações de Portugal …

Minha visão sobre o comportamento dos portugueses em relação aos imigrantes mudou completamente em 2018, quando conheci uma senhora de 75 anos no aeroporto de Paris. Ela estava indo visitar o filho que lá residia e estava perdida e confusa, quando me pediu ajuda.

Falando sobre a adaptação do filho português na França, começamos a falar de imigração. Lembro que ela falava muito sobre a era Salazar. De um lado ela criticava o fato de, naquela época, Portugal era muito rígido e fechado em diversos aspectos e, de outro lado, elogiava o fato de Portugal valorizar a moralidade, seriedade, honestidade etc.

Não esqueço que, ela mesmo dizia que sua geração tinha a tendência (disse apenas tendência) a ser preconceituosa e fechada em relação à imigração, novidades e, até mesmo, a tecnologia, por influência de Portugal ser um país extremamente fechado naquela época.

Obviamente, ouvi com atenção, pois eu estava ouvindo uma senhora de 75 anos, falando acerca de seu próprio país, sua própria geração e sua própria cultura.

Ela também me disse que viu – e continua a ver – Portugal mudando, abrindo-se aos poucos, em relação aos imigrantes, ao turismo e à tecnologia. Ela enfatizou que a nova geração é completamente oposta à anterior, por isso, raramente existe um jovem xenófobo.

Aquela senhora parecia adorar falar sobre a história de Portugal e as peculiaridades de cada geração. Além disso, já tinha visitado parentes no Brasil e tinha um filho que era imigrante na França. Por isso, eu também estava adorando a oportunidade daquele bate-papo enriquecedor.

Na conversa foi possível confirmar o que eu já tinha ouvido, no sentido de que houve uma época em que chegavam muitos brasileiros com um comportamento bastante negativo em Portugal. Muitos homens (não todos) eram desonestos e muitas mulheres (não todas) viviam da prostituição e prejudicavam famílias. Esse período formou o preconceito existente até hoje em alguns. Mas, já é visto pela maioria como passado.

Para nossa felicidade, a senhora disse que a maioria dos portugueses já entendeu que há um novo perfil de imigrantes brasileiros em Portugal. Segundo ela, tornou-se evidente que os novos imigrantes brasileiros vem, em regra, com o objetivo de produzir e investir no país. Ela também disse que há uma visão de que as mulheres brasileiras que chegam a Portugal são trabalhadoras, profissionais intelectuais altamente qualificadas, empreendedoras etc. Ela comentou que, antigamente, havia uma desconfiança quase generalizada de que a mulher brasileira vinha para Portugal para “roubar marido” ou com o único objetivo de se casar com um português. Esse preconceito também já está bastante ultrapassado, mas não foi totalmente exinto.

Antes de embarcar, finalizei a conversa com aquela senhora, elogiando sua experiência, intelectualidade. Ela comentou que, de fato, procurava, mesmo naquela época, estar à frente de seu tempo, mas que passou a simpatizar ainda mais com imigrantes em Portugal, pelo fato de que tinha familiares portugueses que eram imigrantes no Brasil – e que eles são muito felizes lá. E, além de tudo, tinha um filho imigrante na França.

Também chegamos à conclusão de que os portugueses que já foram imigrantes são muito mais parceiros e amigáveis com estrangeiros. Isso porque, eles já sentiram na pele o que é ser imigrante, principalmente na crise histórica de Portugal, que obrigou muitos a deixem o país.

Portanto, como em qualquer país, uma pessoa que trabalhou no exterior, conviveu com pessoas de diferentes nacionalidades ou fez intercâmbios, tem uma cultura diferenciada e dificilmente terá um comportamento xenófobo.

Conclusão

Fica evidente que os portugueses preconceituosos e xenófobos não são maioria, como às vezes se ouve. Muitos, até mesmo da geração passada, já passaram a “aceitar” as mudanças e conviver com elas. Obviamente, cada ser humano tem sua personalidade e encontraremos intolerância e mediocridade, como em qualquer lugar do mundo.

Vale lembrar que sempre haverá o preconceituoso e o xenófobo em qualquer lugar do mundo; e quando encontramos algum ato discriminatório dessas pessoas, não podemos rotular o país inteiro.

Vi muitos brasileiros discriminando estrangeiros, principalmente peruanos, bolivianos e chineses. Aliás, vi, inclusive, preconceito de brasileiros contra brasileiros, como paulistas contra cariocas e vice-versa, bem como preconceito contra nordestinos e nortistas. Conheci pessoas em algumas regiões que sonhavam a divisão do Brasil em República do Norte e República do Sul, por não tolerar pessoas de determinados estados.

É dizer, muitos brasileiros não são tão santos em relação ao preconceito e a xenofobia. Nasci e vivi em São Paulo até os 37 anos. Sei o que estou dizendo.

Ser imigrante e rotular todos os portugueses, como se fossem todos iguais, é bastante fácil e até cômodo. Mas, será que somos ou fomos bons anfitriões?

Qual será a opinião dos estrangeiros no Brasil em relação aos brasileiros? Você gostaria de ser considerado um xenófobo, por que outro brasileiro o é? Pensemos nisso.

Enfim, Portugal está em plena transformação, havendo um diferente comportamento de acordo com a geração e classe social. Torço que nós brasileiros façamos nossa parte, respeitando a cultura do país, sempre somando e nunca envergonhando nossa nacionalidade.

Texto de Adriano Martins Pinheiro, consultor,  escritor e formador em Portugal