tecnologia

Cientistas descobrem vórtice polar “monstruoso” na atmosfera de Júpiter

88views

Uma equipe internacional de cientistas planetários liderada por Thibault Cavalié, do Laboratoire d’Astrophysique de Bordeaux, na França, conseguiu medir a velocidade dos ventos abaixo da camada superior de nuvens na atmosfera de Júpiter. E os resultados contrariam o que se esperava.

Usando o telescópio Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (Alma), no Chile, Cavalié e sua equipe detectaram vórtices no polo sul do planeta, abaixo da aurora austral, se movendo a uma velocidade de 1.440 km/h, cinco vezes a velocidade dos mais poderosos furacões na Terra.

publicidade

Leia mais:

Estes ventos formam um “imenso anticiclone com três a quatro vezes o diâmetro da Terra e uma extensão vertical de 900 Km”, diz Cavalié. “Isto é único no sistema solar”, complementa, descrevendo o fenômeno como um “monstro meteorológico único”.

O vórtice polar é duas vezes mais rápido que os ventos no topo da camada de nuvens em Júpiter, contrariando a suposição anterior de que quanto mais “fundo” na atmosfera, mais lentos seriam os ventos.

A descoberta foi possível graças ao Alma e ao cometa Shoemaker-Levy 9, que colidiu com Júpiter em 1994. Esta colisão introduziu na atmosfera do planeta moléculas de um gás, o cianeto de hidrogênio, que podem ser detectadas ainda hoje. Isso permitiu que os pesquisadores olhassem através da camada de nuvens no topo de atmosfera, que é normalmente invisível aos nossos instrumentos.

Os cientistas mediram minúsculas variações na radiação emitida pelas moléculas enquanto são arrastadas pelos ventos. “Fomos capazes de deduzir a velocidade dos ventos da mesma forma que alguém é capaz de deduzir a velocidade de um trem pela mudança na frequência de seu apito”, disse Vincent Hue, cientista planetário do Southwest Research Institute em San Antonio, Texas.

Apesar de rápido, o vórtice polar em Júpiter não tem os ventos mais rápidos no planeta. Em uma camada ainda mais alta da atmosfera, chamada Ionosfera, há ventos com velocidade supersônica, de 1 ou 2 quilômetros por segundo, entre 3.600 a 7.200 km/h”, diz Cavalié.

Fonte: Gizmodo

Fonte: Olhar Digital