política

Clínicas de vacinas do Brasil negociam 5 milhões de doses de imunizante indiano

26views

A ABCVAC (Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas) informou neste domingo (3.jan.2021) que negocia a compra de 5 milhões de doses da vacina Covaxin, desenvolvida na Índia pelo laboratório Bharat Biotech.

O imunizante teve seu uso emergencial autorizado pela Índia neste domingo, e está na 3ª fase de testes. Precisará da aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para ser usada no Brasil.

<![CDATA[
.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;}.mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}
]]>
O presidente da ABCVAC, Geraldo Barbosa, afirmou que o imunizante foi oferecido ao governo federal, e que uma parte excedente foi disponibilizada pela empresa às clínicas privadas.

Ele viaja à Índia nesta semana (4 – 8.jan.2021) com uma comitiva do governo para conhecer a indústria e avaliar se a Bharat Biotech consegue fornecer a quantidade negociada. “A ideia é saber se efetivamente essa capacidade existe e se isso não vai gerar uma expectativa frustrada no futuro”.

Barbosa disse que assinou um memorando de intenção de compra para 5 milhões de doses iniciais, capacidade que foi ofertada pela empresa. O presidente da ABCVAC disse que “está brigando” para aumentar a quantidade.

“O que vimos até agora com todas as tratativas, é que sim, teremos uma vacina disponível no mercado privado em 2021”, afirmou à GloboNews neste domingo. Ele ressaltou que quando tiver certeza que a negociação for concretizada, vai tratar da busca por seringas e agulhas suficientes para atender o mercado.

O Poder360 revelou em dezembro que as vacinas poderiam também ser aplicadas por hospitais e clínicas particulares, assim que obtivessem autorização de uso no sistema público pela Anvisa.

Continuar lendo

Poder360