ciência

Com bastão de selfie, 1º satélite de madeira será lançado até o fim do ano

41views
Satélite WISA Woodsat é feito de madeira especialmente revestida para lidar com o ambiente inóspito do espaço (Foto: Wisa Plywood)
Satélite WISA Woodsat é feito de madeira especialmente revestida para lidar com o ambiente inóspito do espaço (Foto: Wisa Plywood)

A madeira não é a primeira matéria-prima que vem à mente quando se trata de fabricar um equipamento resistente o suficiente para superar o calor ardente do Sol e viajar a 40 mil quilômetros por hora na órbita terrestre. Porém, uma iniciativa finlandesa anunciou no dia 12 de abril que planeja lançar o primeiro satélite feito com o material até o final de 2021.

Por mais incrível que pareça, cientistas conseguiram desenvolver uma madeira compensada, especialmente revestida para as condições inóspitas do espaço. O pequeno satélite feito a partir dessa matéria-prima é chamado de WISA Woodsat e também conta com sensores e câmeras acopladas a um bastão de selfie, que irá registrar todo o seu progresso.

A missão espacial do satélite é fruto de uma parceria de origem finlandesa, entre as empresas de tecnologia espacial Arctic Astronautics e Huld, em conjunto com a fabricante de papel, madeira e celulose UPM Plywood.

O objetivo do projeto será avaliar o comportamento e durabilidade do compensado de madeira ao longo de um período prolongado nas temperaturas extremas do espaço. O experimento poderá abrir portas para que futuras missões também possam usar o material em outros satélites e quem sabe até em espaçonaves. 

“O satélite de madeira com um bastão de selfie certamente trará bom presságio e levantará sorrisos, mas essencialmente este é um esforço sério de ciência e tecnologia”, conta Jari Mäkinen, gerente da missão, em comunicado, acrescentando que o equipamento irá servir para comunicação amadora de rádio e poderá hospedar vários experimentos secundários.

O nanosatélite Kitsat, que é similar ao WISA Woodsat (Foto: Kitsat)
O nanosatélite Kitsat, que é similar ao WISA Woodsat (Foto: Kitsat)

Mäkinen também cita que a iniciativa irá popularizar a tecnologia espacial para o público e será usada para validar as operações de um outro satélite, feito para fins educacionais, chamado de Kitsat. O objeto em miniatura é usado por centenas de universidades em todo o mundo e foi desenvolvido por engenheiros do projeto CubeSat da Aalto University, na Finlândia.

Muito similar com o Kitsat, o novo satélite também é pequeno, mas poderá ajudar em descobertas grandiosas. Ele tem cerca de 10 centímetros de comprimento e pesa apenas um quilograma. O equipamento conta com nove células solares para se manter em órbita e um novo conjunto de sensores, que será fornecido pela Agência Espacial Europeia (ESA).

O WISA Woodsat será levado ao espaço até o final do ano, no complexo de lançamento da Península de Mahia, na Nova Zelândia. O objeto de madeira irá orbitar a Terra a uma altitude de pelo menos 500 quilômetros, completando uma órbita completa a cada uma hora e meia.

Galileu