política

Comunidade científica lamenta 100 mil mortes por covid-19 no Brasil

53views

Médicos, infectologistas e representantes da sociedade civil lamentaram os 100 mil mortos por covid-19 no Brasil. O país atingiu a marca neste sábado (8.ago.2020). A 1ª morte de 1 brasileiro foi registrada em 12 de março.

Eis abaixo os posicionamentos:

Alexandre Padilha, ex-ministro da Saúde

“Somos os últimos lugares em números de testes, segundo em número de mortos, o único país com mais de 1000 mortos diários. É impossível dizer que Bolsonaro não tem culpa nessa crise toda que vivemos. Ele carrega sangue dos 100 mil mortos nas mãos.”

Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde

“Cem mil vidas perdidas. Negacionismo, desprezo à ciência, perda de credibilidade e ausência de liderança. Solidariedade às famílias. Força SUS! Oremos!”

Fernando Pigatto, presidente do Conselho Nacional de Saúde

“São 100 mil vidas perdidas. Uma vida, todas as vidas importam. Não podemos deixar de registrar esse triste momento da história do nosso país, fruto da irresponsabilidade criminosa e genocida do presidente da República e seus seguidores. Continuaremos com a nossa missão que a história nos reservou: salvar vidas.”

Atila Iamarino, biólogo

Roberta Pinto Grabert, especialista em gestão de saúde

“É difícil evitar qualquer morte, mas muitas dessas mortes poderiam ser evitadas. Isso é o que mais dói. As vezes com o uso da máscara, com o exemplo de 1 presidente que mostre coesão, transparência, que aceite que é uma doença nova e agente não sabe tudo. São 100 mil famílias, no mínimo. Para nós que somos médicos é muito duro porque muitas poderiam ser, sim, evitadas com ações muitos simples (…) O Brasil tinha uma vantagem estratégica. Fomos uns dos últimos países a ser atingidos.”

Continuar lendo

Poder360