política

Cotado para Turismo, Gilson Machado é próximo a Bolsonaro e defende bandeiras de antecessor

42views

Nome mais cotado para assumir o Ministério do Turismo, Gilson Machado comanda a Embratur desde maio de 2019 e, antes, coordenou projetos na área de turismo na equipe de transição governamental. Gilson já teria aceito convite do presidente Jair Bolsonaro, segundo fontes ouvidas pelo Valor, para assumir o lugar de Marcelo Álvaro Antônio, demitido hoje.

Um dos integrantes do governo mais próximos de Bolsonaro, Gilson acompanhou o presidente em diversas viagens nos últimos meses e participou de lives semanais mesmo quando o tema não envolvia sua agência. Natural de Pernambuco, costuma fazer discursos inflamados nas passagens do presidente pelo Nordeste defendendo que o seu governo “libertou” a região das mãos do PT.

Chamado por muitos na Esplanada de “sanfoneiro do Bolsonaro”, Gilson costuma levar o instrumento para eventos e transmissões do presidente. Antes de viajar ao lado de Bolsonaro, a sanfona acompanhou o empresário pelo país, tocando na banda de forró “Brucelose”. O nome, de uma infecção com origem animal, tem ligação com a formação acadêmica de Gilson, que também é médico veterinário.

1 de 1
Live de junho de 2020 em que o presidente Bolsonaro homenageia as vítimas da covid-19 com Gilson Machado tocando “Ave Maria” de Schubert na sanfona — Foto: Reprodução

Live de junho de 2020 em que o presidente Bolsonaro homenageia as vítimas da covid-19 com Gilson Machado tocando “Ave Maria” de Schubert na sanfona — Foto: Reprodução

Na Embratur, as bandeiras levantadas por Gilson são próximas do que defendia Marcelo Álvaro Antônio na pasta do Turismo, como ampliar parcerias com iniciativa privada e propor flexibilização de regras ambientais ou regulatórias para facilitar empreendimentos.

Ao dar posse a Gilson na Embratur, no ano passado, Bolsonaro disse que a escolha era ousada. “Estamos ousando com o Gilson. Uma pessoa de palavra fácil, fala a linguagem do povo. Não é apenas sanfoneiro, o seu currículo, a sua vivência e sua vontade de trabalhar superam qualquer dificuldade que porventura ele possua”, declarou o presidente à época.

À frente da Embratur, Gilson despertou algumas polêmicas ao falar sobre homossexuais e virou motivo de piada ao divulgar um vídeo em redes sociais em que apresentava o Brasil a australianos com dificuldade em falar a língua inglesa. Na ocasião, ele foi comparado ao técnico de futebol Joel Santana.

Fonte: Valor Econômico