notícias

Delegado afirma ter sido agredido por Tenente da Rota

1.53Kviews

Delegado afirma ter sido agredido por Tenente da Rota

Aroldo Cesário Diniz diz que recebeu um empurrão e PMs sacaram armas. Ele se recusou a prender homem detido pela PM que não era procurado.

O delegado de Rio Claro (SP) Aroldo Cesário Diniz afirma que foi agredido verbalmente e fisicamente com um empurrão por um tenente das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), na noite de quinta-feira (20). A agressão teria ocorrido dentro do plantão policial depois que o delegado se recusou a prender um homem detido pela equipe de elite da Polícia Militar.

Ele cumpria pena no regime semiaberto, mas no momento da abordagem estava sem o documento para comprovar. Este mês, a Rota trabalha na cidade para ajudar a reduzir a criminalidade no município.

A confusão começou depois que policiais da Rota foram à delegacia da Avenida Saudade para apresentar o suspeito. Como ele não constava no sistema como procurado, o delegado se recusou a fazer a prisão. Foi aí que o tenente da Polícia Militar teria discutido e depois agredido o delegado.

“A ocorrência estava sendo apresentada normalmente até que o oficial que a conduzia começou a debochar e rir, como se tivesse algum circo aqui no plantão, Depois me chamou de bandido e por aí as coisas foram se desencaminhando”, relatou Diniz.

A Polícia Civil alega que o delegado recebeu um empurrão. “Fui agredido. Não houve saque de arma de nenhum Policial Civil, mas dos policiais militares da Rota”, afirmou Diniz.

Investigação

Nenhum oficial da Rota quis comentar o assunto. O capitão da Polícia Militar Rodrigo Arena negou a agressão.

“Acho que não chegou a esse ponto. A questão está sendo apurada pelos comandos das duas polícias. Tanto o comandando do batalhão quanto o delegado seccional vieram aqui na delegacia verificar o que realmente aconteceu”, informou.

Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Rio Claro também acompanharam a ocorrência. “Conseguimos conversar com várias pessoas e obviamente as corregedorias da Polícia Civil e Militar vão investigar para dar uma solução. Lamentavelmente todos perdem com tudo isso, esperamos que não se repita”, disse o conselheiro da OAB William Nagib Filho.

O delegado que disse ter sido agredido registrou boletim de ocorrência contra os agentes da rota por desacato e ameaça. O documento foi assinado pela delegada Adriana Nevoeiro, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

Funcionários do plantão policial informaram que o rapaz levado pela Rota ao local foi liberado depois que apresentou a carteira que permite que ele fique em regime aberto.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que o caso será investigado pelas corregedorias das polícias Militar e Civil. Os trabalhos de ambas as corporações continuam sendo realizados normalmente na cidade.

Fonte: G1 | 21/02/2014