política

Dólar e juros futuros exibem alta em reação a tom negativo do exterior

20views

O tom avesso a risco dos mercados internacionais se reflete na abertura dos negócios por aqui. Na manhã desta sexta-feira, o dólar opera em alta em relação ao real e os juros futuros também se ajustam em alta, embora em níveis bastante contidos, no momento em que os agentes se mantêm atentos à agenda de reformas e às perspectivas do Banco Central para a inflação no médio prazo.

Por volta de 9h25, o dólar era negociado a R$ 5,5621 (+0,95%) no mercado à vista. No mesmo horário, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2022 passava de 2,83% no ajuste anterior para 2,85%; a do DI para janeiro de 2023 subia de 4,25% para 4,26%; a do contrato para janeiro de 2025 avançava de 6,21% para 6,26%; e a do DI para janeiro de 2027 escalava de 7,19% para 7,24%.

O dia é de cautela em águas internacionais. Nos Estados Unidos, as atenções dos investidores estão voltadas às discussões entre democratas e republicanos para um novo pacote de estímulos econômicos, depois que a presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, a democrata Nancy Pelosi, revelou que está terminando de elaborar um plano, que seria de aproximadamente US$ 2,4 trilhões. Para os agentes do mercado, contudo, a possibilidade de um novo pacote de estímulos no país se mostra bastante escassa, no momento em que as eleições presidenciais se aproximam.

Em solo europeu, o avanço de novos casos de covid-19 tem aumentado as apostas entre os agentes de que o Banco Central Europeu (BCE) pode ter de reduzir a taxa de depósito, atualmente negativa em 0,5%. No horário acima, o rendimento do Bund alemão de dois anos caía para -0,701%. Vale destacar que, nesta manhã, o índice Stoxx 600 Banks atingiu mínima histórica intradiária.

Nesse contexto, o dólar se fortalece também em relação a outras moedas emergentes. No horário acima, a divisa americana subia 0,24% em relação ao peso chileno, avançava 0,95% na comparação com o rand sul-africano, tinha alta de 0,93% ante o peso mexicano e saltava 1,01% contra o rublo russo. O índice DXY, que mede o desempenho do dólar contra uma cesta de outras seis divisas fortes, subia 0,20%, para 94,54 pontos.

Por aqui, os juros futuros se mantêm comportados nesta manhã e a incorporação de prêmio de risco ao longo da curva se dá de forma contida, no momento em que os agentes continuam a digerir o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) e comentários do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, de que a autoridade monetária está “absolutamente tranquila” em relação às pressões inflacionárias. Cabe destacar que a inflação implícita medida pelo futuro de cupom de IPCA (DAP) para 2021 está em 3,12%, abaixo da meta de 3,75%.

1 de 1 — Foto: Chris Ratcliffe/Bloomberg

— Foto: Chris Ratcliffe/Bloomberg

Fonte: Valor Econômico