política

EUA: Goldman Sachs reduz à metade previsão de alta do PIB no 4º trimestre

64views

O impasse entre congressistas republicanos e democratas nos EUA sobre a aprovação de um novo pacote de estímulos fiscais começa a gerar repercussões mais negativas no mercado. O banco Goldman Sachs reduziu a previsão de crescimento da economia americana no quarto trimestre de 6% para 3% em relação ao trimestre anterior.

“Achamos que agora está claro que o Congresso não anexará estímulo fiscal adicional à resolução contínua”, afirmam em relatório os analistas do Goldman Sachs liderados pelo economista-chefe Jan Hatzius.

A resolução contínua que eles citam se refere à lei para prorrogar o financiamento do governo americano até 11 de dezembro e na qual os republicanos queriam incluir medidas de alívio fiscal. As chances, porém, diminuíram drasticamente diante da batalha política em torno da nomeação de um nome para substituir a juíza Ruth Bader Ginsburg na Suprema Corte – ela morreu no último fim de semana.

“Isso implica que, após uma rodada final de benefícios adicionais ao desemprego que está sendo desembolsada, qualquer apoio fiscal extra provavelmente terá que esperar até 2021”, escreveram os analistas do Goldman Sachs.

“Estimamos que a ausência do pacote reduzirá a renda disponível no quarto trimestre… e pesará sobre os gastos do consumidor, mas provavelmente menos do que o temido inicialmente“, diz a equipe do banco.

“Estamos reduzindo nossa projeção de crescimento do PIB para o quarto trimestre de 6% para 3%, em uma base trimestral anualizada. Isso deixa mais espaço para recuperação depois e, portanto, aumentamos nossas projeções de crescimento de 2021 como uma compensação parcial”, acrescentaram.

1 de 1 — Foto: Jeenah Moon/Bloomberg

— Foto: Jeenah Moon/Bloomberg

As novas projeções do Goldman para a economia americana preveem uma queda de 3,5% no ano em 2020 e crescimento de 5,8% em 2021. Para o recorte do quarto trimestre, o banco projeta uma queda de 2,5% em comparação ao mesmo período do ano passado. Depois, no quarto trimestre de 2021, a previsão é que o PIB cresça 5,5% em relação ao resultado do mesmo período deste ano.

Sobre as eleições, que serão realizadas em 3 de novembro e prometem ser conturbadas, os analistas do Goldman acreditam que terminarão com um governo dividido, ou seja, com a vitória de um partido na votação presidencial sem o domínio sobre as duas casas do Congresso.

Apesar disso, eles preveem que, depois do pleito, a extensão dos benefícios seja finalmente aprovada.

“Independentemente do resultado da eleição, esperamos que o Congresso renove a duração e a elegibilidade ampliada para benefícios de desemprego e aprove uma segunda rodada de empréstimos do Programa de Proteção ao Salário no valor de US$ 250 bilhões começando no primeiro trimestre de 2021”, escreveram.

Fonte: Valor Econômico