política

Farmacêutica britânica diz que droga contra covid-19 reduz mortes em 85%

118views

Uma droga desenvolvida pela farmacêutica britânica GSK em parceria com a norte-americana Vir Biotechnology foi capaz de reduzir mortes e internações causadas pela covid-19 em 85% dos casos.

O anúncio (íntegra – 241 KB) foi feito pelas empresas na última 5ª feira (11.mar.2021). De acordo com o comunicado, o anticorpo monoclonal VIR-7831 foi analisado em 583 voluntários.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

As empresas informaram que planejam pedir autorização para uso emergencial no FDA (Food and Drug Administration), autoridade sanitára dos Estados Unidos, nas próximas semanas.

Um comitê independente de cientistas que acompanha os testes afirmou que os estudos de fase 3 com o medicamento não precisam de novos participantes por já contar com evidência de eficácia.

Os estudos com os participantes que já receberam o medicamento devem continuar por mais 24 meses.

Em artigo (íntegra – 1 MB) publicado na 4ª (10.mar), um grupo de pesquisadores ligados à Vir Biotechnology divulgou dados que indicam que o VIR-7831 é eficaz contra as variantes britânica (B.1.1.7), sul-africana (B.1.351) e brasileira (P.1) do novo coronavírus. O estudo ainda não foi revisado por pares.

“Queremos pôr o VIR-7831 à disposição dos pacientes o mais rápido possível e continuar explorando seu potencial em outros ambientes”, disse o diretor científico e presidente de Pesquisa e Desenvolvimento da GSK, Hal Barron.

<

p class=”p1″>“Esses dados tão animadores nos aproximam um pouco mais de poder levar uma nova solução eficaz para pacientes do mundo todo”, aifirmou o CEO da Vir Biotechnology, George Scangos.

As farmacêuticas não divulgaram em quais países, além dos Estados Unidos, serão protocolados pedidos de autorização para uso emergencial da droga.

Continuar lendo

Poder360