ciência

Fóssil de 1 bilhão de anos revela elo perdido na evolução dos animais

135views
Fóssil de 1 bilhão de anos revela elo perdido na evolução dos animais (Foto: Paul Strother)
Fóssil de 1 bilhão de anos revela elo perdido na evolução dos animais (Foto: Paul Strother)

Pesquisadores da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, e do Boston College, nos Estados Unidos, encontraram um microfóssil que contém dois tipos de células distintas e pode ser o mais antigo animal multicelular já registrado. O material, descrito em artigo publicado em abril no Current Biology, foi descoberto no lago Torridon, no noroeste das Terras Altas, região montanhosa no norte da Escócia.

Para os cientistas, o fóssil dá novas pistas sobre como os animais transitaram de organismos simples e unicelulares para seres de estrutura mais complexa, apresentando um organismo que está posicionado entre essas duas formas de vida.

“As origens da multicelularidade complexa e a origem dos animais são consideradas dois dos eventos mais importantes da história da vida na Terra. Nossa descoberta lança uma nova luz sobre ambos”, afirma, em nota, Charles Wellman, professor do Departamento de Ciências Animais e Vegetais da Universidade de Sheffield  e um dos líderes do estudo. “Encontramos um organismo esférico primitivo composto de um arranjo de dois tipos distintos de células, o primeiro passo em direção a uma estrutura multicelular complexa, algo que nunca foi descrito antes em registro fóssil.”

A descoberta da espécie fossilizada, batizada de Bicellum brasieri, indica que a evolução de animais multicelulares ocorreu a pelo menos 1 bilhão de anos atrás. Além disso, o achado sugere que os primeiros eventos que levaram à evolução animal possam ter ocorrido na água fresca de lagos ao invés dos oceanos.

“Os biólogos têm especulado que a origem dos animais incluía a incorporação e reaproveitamento de genes anteriores que haviam evoluído anteriormente em organismos unicelulares”, explica Paul Strother, professor do Boston College e outro líder da pesquisa. “O que vemos em Bicellum é um exemplo de tal sistema genético, envolvendo adesão célula-célula e diferenciação celular que pode ter sido incorporada ao genoma animal meio bilhão de anos depois.”

Agora, os pesquisadores pretendem continuar investigando os depósitos do lago Torridon a fim de encontrar outros fósseis bem preservados que possam ajudar a reconstruir a história da evolução animal. O estudo teve financiamento do Conselho de Pesquisa em Meio Ambiente Natural do Reino Unido.

Galileu