economiapolítica

Gasto com militares cresce 17% depois de reforma na carreira

53views

O gasto com pessoal militar cresceu 17% mais que o esperado após a reestruturação de carreiras, segundo uma projeção feita pelo Ministério da Defesa. Dados do PEP (Painel Estatístico de Pessoal), do Ministério da Economia, apontam que o aumento nessas despesas foi de R$ 5,55 bilhões em 2020.

Segundo informações divulgadas pelo jornal O Globo nesta 2ª feira (24.mai.2021), o valor é maior do que a Defesa previu em 2019, época da reforma no sistema de aposentadorias das Forças Armadas. As mudanças no plano de carreira dos militares incluíram, por exemplo, pagamento de adicional por curso realizado, o que resultou no aumento da remuneração dos profissionais.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Em 2019, a Defesa estimou que o primeiro ano da reestruturação teria impacto de R$ 4,73 bilhões. Mas os dados do painel da Economia apontam que os gastos somaram R$ 80,5 bilhões em 2020, alta de R$ 5,5 bilhões e, portanto, 17% superior ao projetado.

De acordo com o cálculo feito pelo Globo, se permanecer nesse ritmo, em 20 anos a reestruturação da carreira levará a um gasto extra de R$ 217,66 bilhões. As projeções não consideram as revisões de regras para os inativos, mas acendem um sinal de alerta.

Procurado, o Ministério da Defesa não comentou os números do painel da Economia e afirmou que houve economia no ano passado, se considerados os efeitos da reforma. De acordo com o Ministério, houve aumento de gastos com pessoal de R$ 4,84 bilhões e geração de receitas de R$ 5,55 bilhões.

A Defesa também informou que, com a pandemia de covid-19, houve necessidade de convocar pessoal para a área de saúde e prorrogar o tempo do Serviço Militar. Já sobre o gasto a longo prazo, o Ministério alega que o aumento de gastos será compensado com mudanças nas regras para a reserva militar, que devem gerar economia de R$ 251,4 bilhões em duas décadas. O saldo para o governo seria, portanto, positivo em R$ 33,7 bilhões.

Continuar lendo

Poder360