ciência

Intervalo ideal de doses da vacina da Pfizer é de 8 semanas, sugere estudo

41views
Pesquisa aponta vantagens de intervalo de oito semanas entre as duas doses da vacina contra Covid-19 da Pfizer (Foto: Divulgação)
Pesquisa aponta vantagens de intervalo de oito semanas entre as duas doses da vacina contra Covid-19 da Pfizer (Foto: Divulgação)

No Brasil, o intervalo aplicado entre as doses da vacina contra Covid-19 da Pfizer é de 12 semanas. Entretanto, esse período não é o ideal, segundo um novo estudo da Universidade de Oxford, na Inglaterra, realizado com 503 profissionais de saúde. A pesquisa aponta que a aplicação deveria ser feita com pausa de apenas 8 semanas para melhorar a proteção contra o coronavírus.

A descoberta, que ainda deverá ser revisada por pares, avaliou participantes das cidades inglesas de Birmingham, Liverpool, Newcastle, Oxford e Sheffield. Foram comparados profissionais que receberam vacinação em esquema de dosagem curto (com média de 3 a 4 semanas de intervalo) e longos (com pausa estimada de 10 semanas entre as doses).

O intervalo mais longo de aplicação da vacina da Pfizer foi relacionado a níveis de anticorpos neutralizantes duas vezes mais altos do que seriam com a interrupção mais curta. Isso considerando todas as variantes do Sars-CoV-2, incluindo a Delta – detectada inicialmente na Índia, mas que avança no Brasil e em mais de uma centena de países.

As farmacêuticas Pfizer e BioNTech estão planejando doses de reforço contra a variante Delta do coronavírus (Foto: Divulgação)

O novo estudo revelou que o regime prolongado de 10 semanas também melhora a resposta das células T auxiliares, que trabalham na memória imunológica e ajudam na produção de anticorpos. Além do mais, o critério aumentaria o número de pessoas totalmente imunizadas mais rapidamente.

Por outro lado, o intervalo mais longo também trouxe uma desvantagem: os cientistas registraram que houve um declínio nos níveis de anticorpos entre uma dose e a outra, o que deixou os participantes menos protegidos durante essa pausa.

Com isso, a equipe acredita que o intervalo ideal entre as doses seja de 8 semanas, conforme citou em entrevista coletiva, Susanna Dunachie, professora da Universidade de Oxford envolvida no estudo. Ela reitera também a importância de seguir o esquema de vacinação completo. “Está claro a partir de nossas descobertas que, para maximizar sua proteção individual, é muito importante receber duas doses da vacina contra Covid-19 quando oferecida”, afirma, em comunicado.

Galileu