política

Mensagens indicam que bolsonaristas articularam para criar rádio pró-governo

27views

Mensagens presentes no celular do empresário Otávio Fakhoury, apreendido pela PF (Polícia Federal), apontam que bolsonaristas estavam se articulando para comprar uma estação de rádio. O objetivo era ter 1 veículo que apoiasse pautas de interesse do governo.

A informação foi divulgada pelo jornal O Globo, que teve acesso ao depoimento de Fakhoury à , que foi questionado sobre as mensagens na ocasião. Segundo o jornal, o empresário tratou sobre o assunto com Fábio Wajngarten, secretário de Comunicação da Presidência.

O celular de Fakhoury foi apreendido em 16 de junho. A medida foi solicitada pela PGR (Procuradoria Geral da República) e autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal). A ação foi feita no âmbito do inquérito que apura a organização e financiamento de atos contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal federal, no qual o empresário é investigado.

<![CDATA[
.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;}.mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletterÂ
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}
]]>

Segundo o jornal, em uma das conversas, Fakhoury afirma que existe 1 grupo que pode “financiar a aquisição”. Ele cita o chef e dono da rede de restaurantes Madero, Luiz Renato Durski Júnior, como uma das pessoas que poderia ajudar na compra.

Ao ser interrogado pela PF, Durski negou fazer parte do grupo. Afirmou que nunca foi procurado para discutir a compra de uma estação de rádio e falou que não apoia grupos políticos. Disse que seu apoio se concentra na pessoa do presidente Jair Bolsonaro.

O pastor Romildo Ribeiro Soares, conhecido como RR Soares, fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus, também foi interrogado pela PF sobre o assunto. Disse que o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, o questionou sobre a possibilidade de alugar uma rádio. O pastor falou que conversou com alguns proprietários de rádios. Um deles lhe disse que o faturamento mensal era de aproximadamente R$ 1 milhão. O pastor repassou a informação a Eduardo.

Eduardo Bolsonaro disse que só tinha interesse na locação de uma rádio e não tinha esse valor para negociar a locação”, disse RR Soares em depoimento.

O pastor falou que tentou contato com Eduardo por mais duas vezes, sem retorno. Disse que conheceu Wajngarten quando esteve no Palácio do Planalto, mas não conversaram sobre a concessão de rádios ou o pedido feito por Eduardo Bolsonaro.

Ao jornal O Globo, a defesa de Otávio Fakhoury e a Secretaria de Comunicação da Presidência afirmaram que não irão se manifestar sobre o assunto.

Continuar lendo

Poder360