ciência

Mulher descobre que “pedra” de seu estábulo é artefato romano de 1,8 mil anos

67views
Mulher descobre que pedra de seu estábulo é lajota romana de 2 mil anos (Foto: Divulgação Woolley and Wallis)
Mulher descobre que “pedra” de seu estábulo é lajota romana de 2 mil anos (Foto: Divulgação Woolley and Wallis)

Há 20 anos, uma inglesa encontrou uma bela pedra em seu jardim, no vilarejo de Whiteparish, sul da Inglaterra, levou-a ao seu estábulo e, por anos, usou-a como apoio para montar seus cavalos. Esta poderia ser apenas mais uma história sem graça, não fosse um desdobramento surpreendente que ocorreu nos últimos meses: após duas décadas em posse do objeto, a mulher finalmente reparou nas incrições e desenhos do artefato.

Intrigada com os símbolos, a britânica levou a peça para ser analisada por historiadores e arqueólogos. Resultado? Os especialistas descobriram que a “pedra” é, na verdade, uma lajota romana datada do século 2 d.C., provavelmente originária da Grécia ou do Oriente Médio, em que lê-se “o povo (e) os Rapazes (honra) Demetrios (filho) de Metrodoros (o filho) de Leukios”.

Inscrição em que lê-se: o povo (e) os Rapazes (honra) Demetrios (filho) de Metrodoros (o filho) de Leukios (Foto: Divulgação Woolley and Wallis)
Inscrição em que lê-se: “o povo (e) os Rapazes (honra) Demetrios (filho) de Metrodoros (o filho) de Leukios” (Foto: Divulgação Woolley and Wallis)

“Artefatos desse tipo costumavam chegar à Inglaterra como resultado de Grand Tours, no final do século 18 e 19, quando aristocratas ricos viajavam pela Europa aprendendo sobre arte e cultura clássicas”, explicou Will Hobbs, especialista em antiguidades da casa de leilão Woolley and Wallis, em comunicado. “Presumimos que foi assim que entrou no Reino Unido, mas o que é um completo mistério é como acabou em um jardim doméstico, e é aí que gostaríamos da ajuda do público.”

A casa em Whiteparish onde a lajota foi descoberta é uma das várias construídas em meados da década de 1960. Por isso, os especialistas torcem para que alguém que morou na área ou trabalhou na construção à época possa se lembrar das origens de alguns dos escombros usados .

“Existem várias possibilidades de onde a pedra pode ter se originado,” afirmou Hobbs. Segundo ele, a Cowesfield House e a Broxmore House, propriedades importantes da época, eram muito próximas de Whiteparish e foram demolidas em 1949 após terem sido requisitadas pelo exército durante a Guerra. “Mas também sabemos que a casa onde hoje é o Paulton’s Park foi destruída por um incêndio em 1963 e, portanto, possivelmente os escombros de lá foram reutilizados em canteiros de obras na área pouco depois”, pontuou o especialista.

Se sua origem ainda é um mistério, outro ponto acerca da “pedra” de 63 centímetros de comprimento está bem esclarecido: ela vale uma pequena fortuna. A lajota, que será leiloada em fevereiro pela Woolley and Wallis, tem valor estimado em 15 mil libras — o que, segundo a cotação atual, equivale a quase 110 mil reais.

Moral da história: da próxima vez em que encontrar uma pedra no jardim, observe com cuidado — você pode estar segurando um tesouro em suas mãos!

Galileu