Artigospalestras

Networking e boas parcerias geram sucesso | Rede Social é indispensável

Networking | Parceria | Sucesso | Rede social
679views
Adriano Martins Pinheiro
Networking | Parcerias | Sucesso | Rede Social

Introdução

Este texto pretende: a) despertar o interesse e esclarecer a importância das parcerias profissionais e; b) agregar uma melhor compreensão para aqueles que já tem esse conceito.

Acerca de parcerias, destaco três perfis de pessoas:

1) os que já identificaram a necessidade de parceriase as utilizam no mundo corporativo;

2) os que tem o conceito e querem saber mais;

3) aqueles tem alguma noção da importância, mas, que, por alguma razão resistem e;

4) Aqueles que nunca pensaram nisso e não a mínima noção da importância da parceria nos mundo dos negócios.

Deveria ser óbvio que vivemos em sociedade e precisamos de conexão com as pessoas. E, se negócios são criados e mantidos por pessoas, precisamos de uma boa conexão com elas.

Profissionais de sucesso fazem parcerias

Devemos considerar o fato de que todos os profissionais de sucesso possuem habilidade em fazer parcerias – e eles as fazem o tempo todo.

É bem verdade que, em alguns ramos de atividade, a necessidade de realizar parcerias são muito maiores. Além disso, as circunstâncias também podem criar uma maior necessidade.

Profissionais que trabalham em grupos, na qualidade de subordinados (empregados), também precisam fazer parcerias, pois, trabalho em equipe é um tipo de parceria.

De qualquer forma, as parcerias são absolutamente necessárias e, além disso, as oportunidades de criá-las aparecem e desaparecem, continuamente.

E, se as oportunidades de parcerias aparecem e desaparecem continuamente, aqueles que tem a capacidade de enxergá-las fazem a diferença. Aliás, esses são, justamente, os objetivos do texto: fazer pensar sobre, entender, planejar e executar projetos de parceria.

Observar para aprender

Eu sempre gostei de ser observador em relação ao comportamento das pessoas nos negócios. Desde muito jovem, eu criei o hábito em observar as pessoas bem-sucedidas, tentando identificar suas características, habilidades e performance.

Por outro lado, confesso que também tento identificar onde algumas pessoas perdem boas oportunidades por fazerem o errado ou deixarem de fazer o correto.

Constatei, como disse antes, que as pessoas de sucesso são ótimas em criar e desenvolver parcerias. Seja um profissional liberal, executivo, gerente, gestor … deverá ser bom em estabelecer e manter parcerias.

O que faz alguém não criar parcerias?

Sempre ouvi dizer que não somos uma ilha. Nos negócios, o isolamento é sinônimo de fracasso. Alguns motivos para não fazer parcerias:

  • falta de visão: ignora a realidade de importância e necessidade;
  • acha que não precisa: sensação de autossuficiência;
  • egocentrismo: foca apenas em seus interesses, não tendo capacidade de considerar os interesses dos outros;
  • dificuldades emocionais: alta-estima rebaixada, dificuldade de relacionamento etc.

Algumas coisas que afastam as parcerias

  • Falta de empatia: Pensar em “meu projeto”, “eu quero”, “eu preciso” (…). E o outro? Você consegue pensar no que outro quer ou precisa?
  • Mesquinhez: não saber dividir, compartilhar benefícios e vantagens (o chamado “zoião”).
  • Prepotência: considerar-se superior. Ninguém suporta trabalhar com quem tem aquele famoso “ar de superioridade”.
  • Estrelismo: querer exclusividade, holofote, confetes, a ponto de querer ofuscar o outro.
  • Falta de profissionalismo: Não se deve misturar pessoal com profissional. Essa dica é velha, mas vale lembrar.

O que tenho a oferecer?

Se você deseja criar ou melhorar suas parcerias, adote uma estratégia muito eficaz. Tenha foco na necessidade do seu potencial parceiro(a). Eu sempre fiz e sempre deu certo.

Se eu preciso fazer uma nova parceria, tento focar no que o outro precisa e o que posso fazer para contribuir.

Exemplos:

Eu precisava de um gestor de eventos para um projeto. De forma bastante resumida, ofereci-me como palestrante, gratuitamente, e, ainda, divulguei o evento aos meus seguidores. Resultado, ambos saímos ganhando e até hoje temos um a parceria vantajosa.

Outro exemplo é: Sempre que preciso realizar ou implantar um projeto em outro país da Europa ou outra cidade de Portugal, busco os profissionais com um perfil pertinente à necessidade e vejo como oferecer algo que seja de seu interesse profissional em troca de auxílio em meu projeto.

O mesmo faço com profissionais relacionados à gestão de projetos, publicidade, palestras, workshops, treinamentos, rodada de negócios, coaching etc. É produtivo e gratificante.

Comunicação e Redes Sociais

Se falamos de relações negociais e parcerias, devemos pensar em comunicação. Logo, deveremos priorizar as redes sociais.

No meu caso, são ferramentas indispensáveis, o Linkedin e o Whatsapp. Eu não conseguiria trabalhar sem eles.

Estranhamente, há pessoas que perdem muito por não utilizar essas ferramentas (Linkedin e Whatsapp).

Desejar networking e não “turbinar” o Linkedin é uma contradição. É inadmissível. Pense nisso.

Da mesma forma, precisar de uma comunicação eficaz e gratuita e não utilizar o Whatsapp (ou Whatsapp Business – WB) não faz sentido.

Foi difícil resistir não fazer um tópido específico sobre o Whatsapp Business, mas, fiquei tão intrigado com o tema que vou tentar disponibilizar os links de alguns textos e vídeos essa ferramenta (WB) nos negócios.

Quantidade não é qualidade

Qual a utilidade em ter uma grande rede de contatos, sem parceria profissional? Como eu já abordei antes, a razão do network é ter a “net”, para o “work”.

Em se tratando de Linkedin, por exemplo – que é uma rede social para networking-, prefere-se qualidade à quantidade.

Somar empatia e simpatia gera um networking produtivo.

Em razão disso, tente interagir, participar, agregar e contribuir. Como já dito, devemos trabalhar a habilidade de pensar no que o outro quer ou precisa.

Há uma expressão que diz algo próximo de “faça para os outros o que você quer que façam por você”.

Conclusão

Pense em quais parcerias você precisa para o seu ramo de atividade e, após isso, dê maior importância aos outros profissionais, principalmente, oferecendo sua contribuição, mesmo que voluntária, quando for o caso.

Seja empático e saiba contribuir com os interesses do outro. Tenha cuidado com o “eu” e o “meu”.

Por fim, antes de buscar encontrar bons parceiros, sejam um bom parceiro.

Adriano Martins Pinheiro é palestrante e escritor, certificado em Gestão de Projetos, Seis Sigma, Scrum, reside e trabalha em Portugal, tendo escritório, também, no Brasil.

Contatos: Whatsapp +351 543 1234 | Outros links aqui | palestraspinheiro@gmail.com

Perfil no Linkedin: https://www.linkedin.com/in/palestraspinheiro/