política

Pazuello diz que pode ter errado ao falar que Pfizer ofereceu 6 mi de doses

44views

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello disse à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid, nesta 4ª feira (19.mai.2021), que pode ter se enganado ao falar ao Senado, em fevereiro deste ano, que a proposta oferecida pela Pfizer era de 6 milhões de vacinas.

O número difere do apresentado pelo ex-presidente da empresa no Brasil e atual gerente-geral para a América Latina, Carlos Murillo, à CPI. Segundo o executivo, o governo brasileiro recebeu 6 propostas para comprar vacinas da Pfizer contra a covid-19 até fechar contrato. Perguntado sobre a diferença de número de vacinas, Pazuello disse que ou foi erro ou foi tirado de contexto.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

“Temos que lembrar que um depoimento a viva voz, sem documentos, às vezes, fica descontextualizado. Seis milhões, eles são o final do primeiro semestre. Dois milhões e meio são os números de 500, 500, 500 e 1 milhão… Então, às vezes, na hora de se posicionar lá atrás, fica atravessada a resposta.”

De acordo com Murillo, a 1ª oferta oficial que a farmacêutica fez ao Brasil contemplava 500 mil doses para 2020 e 6,5 milhões para o 1º semestre deste ano. No total, a farmacêutica ofereceu 2 contratos, sendo um de 30 milhões de doses e outro de 70 milhões.

Em audiência pública no Senado em 11.fev.2021, o então ministro da Saúde, no entanto, apresentou outra informação. “A Pfizer, mesmo que nós aceitássemos todas as condições impostas, a quantidade que nos ofereceram desde o início foi: 500 mil doses em janeiro, 500 em fevereiro e 1 milhão em março; 6 milhões no total no primeiro semestre. Senhores, nós não podíamos ficar nisso”, disse o então ministro na ocasião.

Mais cedo na CPI, Pazuello disse que negou propostas da Pfizer em 2020 porque o preço era elevado, as questões de logística eram de responsabilidade do Brasil e a quantidade inferior a outros laboratórios com os quais negociava à época.

Continuar lendo

Poder360