política

PSDB e Podemos se unem no Senado e formam bloco com 17 votos

43views

As bancadas do PSDB e do Podemos no Senado fecharam acordo para agirem como um bloco nas eleições da Casa segundo informou ao Poder360 o líder tucano Izalci Lucas (PSDB-DF). Juntas as siglas podem entregar 17 votos, 7 do PSDB e 10 do Podemos. São necessários 41 para se eleger.

<![CDATA[
.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;}.mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}
]]>
Atualmente, há 2 postulantes à presidência: Rodrigo Pacheco (DEM-MG), apadrinhado do atual presidente, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o outro, um candidato do MDB, maior bancada da Casa, que tem 4 nomes na pauta.

O bloco recém formado não decidiu ainda se apoiará um dos candidatos postos ou se lançará nome próprio. O 1º cenário é o mais provável. Com o grupo maior fica mais fácil negociarem cargos em comissões e na Mesa Diretora.

Na partida, a equipe de Alcolumbre conta que ele tem 20 votos individuais de senadores e o MDB tem os 13 de sua bancada. Por isso, a nova força aparece como muito importante no processo eleitoral.

Junto a ela está a oposição, que tem cerca de 15 senadores e que quer votar em bloco. Reúne-se em 23 de dezembro para tentar definir. Os cortejos e negociações seguirão até fevereiro. Eis como está o panorama na Casa:

Continuar lendo

Poder360