tecnologia

Qual o custo de produção de um PlayStation 5?

36views

Para ter um PlayStation 5 debaixo da árvore de Natal neste ano um gamer terá que desembolsar, nos EUA, entre US$ 399 e US$ 499 dólares. Mas esse é o preço do console para o consumidor final. Calcular o custo de produção de um PlayStation 5, ou seja, quanto a Sony gasta para fabricar uma unidade do console, é um exercício muito mais difícil do que parece.

Isso porque o preço final de venda de um console de videogame pode, surpreendentemente, ser bem menor que o custo real de produção. Sim, eu sei que à primeira vista isso não faz sentido. Mas vamos explicar.

publicidade

Quer pagar quanto?

Basicamente, ao calcular o preço inicial de um console a fabricante não considera apenas quanto ele custa para ser produzido, mas sim o quanto o consumidor está disposto a pagar. E ao longo dos anos a empresa trabalha para reduzir o custo e aumentar a margem de lucro.

Isso acontece devido a vários fatores, entre eles um modelo de negócios conhecido como “barbeadores e lâminas”. Nele um produto, no exemplo os barbeadores, é vendido por um preço abaixo do custo para estimular as vendas de um item complementar, no caso as lâminas, onde a margem de lucro é maior. No mercado de videogames os “barbeadores” são os consoles, e as “lâminas” são os jogos, acessórios e serviços associados.

publicidade

O verdadeiro lucro dos fabricantes de consoles está nos jogos, acessórios e serviços. Imagem: Sony

O raciocínio é simples: quanto mais consoles forem vendidos, mais pessoas comprarão jogos e assinaturas de serviços online, como a PSN e Xbox Live. Portanto, é de interesse das fabricantes “perder” um pouco de dinheiro no começo da vida de um console, para ganhar mais a longo prazo.

Além disso, no momento em que um novo console é lançado ele está recheado com tecnologia de ponta e seu volume de produção é baixo, ambos fatores que aumentam significativamente o custo.

Um console de US$ 600 provavelmente encalharia nas prateleiras, e nunca atingiria um volume de produção suficiente para que o custo seja reduzido. Mas um console de US$ 400 é muito mais atraente ao consumidor. O maior volume de vendas acaba ajudando a reduzir o custo até que o segundo fator, o preço dos componentes, também caia com a evolução da tecnologia.

Versões “slim” de consoles são sinal de que a tecnologia estpa madura e os fabricantes estão finalmente tendo lucro com o hardware. Na imagem, o PlayStation 3 original e o PlayStation 3 Slim.

É nesse momento, dois ou três anos após o lançamento, que as fabricantes costumam lançar “versões slim” dos consoles, que apesar do preço menor tem margem de lucro bem maior, já que os componentes custam menos.

Um bom exemplo: o PlayStation 3

A Microsoft foi a primeira empresa a colocar um console de videogame de sétima geração no mercado. O Xbox 360 foi lançado em novembro de 2005, custando a partir de US$ 299.

Já o PlayStation 3 mais básico (com HD de 20 GB), lançado um ano depois, custava US$ 499. À primeira vista pode parecer que a Sony foi “fominha” e decidiu não abrir mão do lucro, mas a verdade é que mesmo com esse preço ela tinha um imenso prejuízo.

Um levantamento da empresa de análise de mercado iSupply na época estimou que o custo de produção de um PlayStation 3 com HD de 20 GB (o modelo básico) era de US$ 805,85, ou US$ 840,35 no modelo de 60 GB. Isso significava que a Sony perdia de US$ 306 a US$ 241 dólares, respectivamente, a cada console vendido.

O resultado é que no ano fiscal que terminou em março de 2007 a divisão responsável pelo console, a Sony Computer Entertainment (SCEI), amargou um prejuízo de US$ 2 bilhões. Mas se a Sony não tivesse feito este sacrifício não conseguiria vender seu console, e a sétima geração de videogames teria sido dominada pela Microsoft e pelo Xbox 360.

Calculando o preço de custo

Só a Sony sabe exatamente o custo de produção de um PlayStation 5, mas analisando os componentes usados é possível ter uma estimativa. Em fevereiro deste ano, antes de o preço do videogame ser anunciado, a Bloomberg estimou este valor em cerca de US$ 450 a unidade.

Segundo o artigo, os maiores responsáveis por este valor eram os chips de DRAM (memória RAM) e NAND Flash (armazenamento). O console tem 16 GB de DRAM e 825 GB de armazenamento interno em um sistema feito sob medida, com chips soldados na placa-mãe.

Segundo a Bloomberg, a memória é um dos fatores que mais pesa no custo de produção de um PlayStation 5
Engenheiro da Sony aponta os chips com os 16 GB de RAM GDDR5 do PlayStation 5, um dos componentes mais caros. Imagem: Sony/Reprodução

Este valor teria feito a empresa a “esperar” um anúncio do preço do Xbox Series X para definir o preço do PlayStation 5, algo que normalmente é feito em fevereiro para que a produção possa ser iniciada no segundo trimestre do ano.

Um artigo da IGN menciona que o custo de produção de um PlayStation 4, quando o console foi lançado, era de U$ 381, e que o console chegou às lojas por US$ 399. Por essa lógica, com um custo de produção de US$ 450 um PlayStation 5 deveria custar pelo menos US$ 499.

É exatamente este o preço do modelo base do console, equipado com um drive de Blu-Ray. A versão “All Digital”, sem unidade ótica, é vendida a US$ 399, mas isso pode ser explicado pelo fato de que a distribuição digital de jogos tem custo menor do que a mídia física, portanto a margem de lucro da Sony em cada jogo comprado na PSN é maior.

A versão tradicional, com leitor de Blu-ray, e a versão “All Digital” do PlayStation 5. Imagem: Sony

A Sony, entretanto, nega que o preço tenha sido influenciado pela rival. Em declaração à revista Edge o diretor da Sony Interactive Entertainment, Jim Ryan, afirma: “nosso preço foi definido no início deste ano, antes do lockdown”, afirmou.

Quando pressionado se a Sony havia considerado mudar o preço do console em algum momento, Ryan reforçou: “Não, não. Conseguimos lançar o PlayStation 5 a US$ 399, com todo o poder de processamento e recursos que ele tem, o mesmo preço pelo qual lançamos o PS4 em 2013. Isso foi importante para nos, e estamos felizes em ter conseguido isso”.

Vale notar que Ryan tem o cuidado de mencionar o preço do console sem drive ótico, que como já dissemos tem margem de lucro maior para a Sony. Isso faz com que ele soe mais barato que o rival Xbox Series X, que custa US$ 499. Mas vale lembrar que a Microsoft vende uma versão de menor custo e menor poder de processamento, chamada, Series S por US$ 299.

No Brasil o PlayStation 5 custa US$ 4.199 e R$ 4.699, respectivamente. Já o Xbox Series X sai por R$ 4.599, e o Series S por R$ 2.799.

Fonte: Olhar Digital