política

Zona do euro: Atividade de serviços ofusca indústria e sinaliza recessão

101views

Em meio a mais medidas de confinamento para conter o coronavírus, a atividade econômica na zona do euro experimentou uma nova queda em fevereiro. Embora a indústria tenha apresentado crescimento nos dados divulgados na segunda-feira, hoje a IHS Markit revelou que o Índice de Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços continua em contração, comprometendo a economia como um todo.

Segundo a IHS Markit, a leitura final do PMI de serviços da zona do euro mostrou leve alta para 45,7 pontos em fevereiro, de 45,4 em janeiro. Apesar da melhora, o índice segue sinalizando queda do setor, pois leituras abaixo de 50 indicam contração, enquanto acima de 50 apontam expansão.

Com o resultado, o PMI composto da zona do euro, que inclui indústria e serviços, subiu para 48,8 em fevereiro, de 47,8 em janeiro, superando a estimativa preliminar de 48,1 pontos. Contudo, o índice também se manteve no território de contração.

“Uma quarta contração mensal consecutiva na atividade coloca a economia da zona do euro em curso para uma recessão de duplo mergulho, embora uma redução na taxa de declínio ressalta como a recessão presente parece muito menos grave do que a que vimos no início da pandemia”, disse o economista-chefe da IHS Markit, Chris Williamson.

Na Alemanha, o PMI de serviços caiu para 45,7 pontos em fevereiro, de 46,7 em janeiro, ligeiramente abaixo da estimativa de 45,9. Porém, com o forte desempenho da indústria, o PMI composto do país subiu para 51,1 pontos, na máxima de dois meses, no território de expansão.

1 de 1 — Foto: Andreas Gebert/Bloomberg

— Foto: Andreas Gebert/Bloomberg

Na França, o PMI de serviços caiu para 45,6 pontos em fevereiro, de 47,3 em janeiro. Embora tenha ficado acima da estimativa de 43,6 pontos, é o nível mais baixo em três meses. Com isso, o PMI composto francês caiu para 47,0 pontos, de 47,7 em janeiro.

Na Itália, o PMI de serviços subiu para 48,8 pontos em fevereiro, de 44,7 em janeiro, colaborando para levar o PMI composto a 51,4 pontos, de 47,2 pontos em janeiro, entrando no território de expansão da atividade geral e na máxima de sete meses.

Fonte: Valor Econômico